Conhecendo o perfil do seu público

Muita gente começa blogs e páginas em redes sociais sem nem, ao menos, saber quem é seu público alvo. Seja por um desconhecimento técnico ou uma valorização exacerbada da experiência empírica, acabam por aprenderem na marra, na tentativa e erro, deixando que a prática oriente os aspectos de planejamento e conteúdo. Embora esse caminho possa dar certo, é possível poupar muito tempo e esforço tomando algumas atitudes antes de lançar um produto. Uma delas é fazer uma pesquisa sobre as características e preferências de seu público, e já começar mirando no no alvo certo. Foi o que fizemos antes de lançar a nossa página do Facebook: aplicamos uma pesquisa com pessoas que desejam ser (ou já são) escritoras.

Uma verdadeira pesquisa de perfil de público é feita por profissionais da área de comunicação e é um excelente instrumento de análise de mercado. Não é algo simplório, como uma mera lista de perguntas e respostas feita em 8 minutos num formulário do google docs. Por isso, se quiser resultados mais claros e avançados, a principal sugestão é: contrate alguém que saiba o que está fazendo. Mas nem todos tem grana para arcar com esse custo, ou mesmo está disposto a ele nesse primeiro momento. Por isso, nesse post, falaremos nas fases de uma pesquisa e, principalmente, os resultados e a análise dos dados da nossa.

Antes de desenvolver as perguntas e aplicar o questionário, é altamente recomendado fazer um projeto de pesquisa. O projeto de pesquisa contém as diretrizes que definirão as perguntas do questionário. Alguns itens comuns nesse tipo de planejamento são: briefing, problema de pesquisa, objetivos (gerais e específicos), metodologia e hipóteses. Como exemplo, o nosso ficou assim:

Problema de pesquisa: qual o perfil ideal de uma página do Facebook voltada para literatura especulativa?

Objetivo geral: definir as estratégias de postagem e conteúdo para atingir o público alvo.

 

Objetivos específicos:

– Definir o tipo de conteúdo a ser gerado

– Definir o horário de maior conectividade do públlico alvo

– Definir a quantidade de conteúdo diário

– Definir o perfil do público (idade, gênero, hábitos de escrita)

– Definir temas adjacentes do público alvo

 

Com base no nosso plano de pesquisa,, preparamos um questionário na plataforma da Google e o divulgamos em páginas e grupos do Facebook, como, por exemplo, “Escritores Ajudando Escritores”, “Literatura Fantástica” e “DeviantArt Brasil” A partir dos dados colhidos, tratamos as informações e obtivemos a seguinte análise:

A pesquisa recebeu 103 respostas. Dentre o público pesquisado, 55% identifica-se como gênero masculino, 33% como feminino, 13% como neutro e 1% como “outro”. Com relação à faixa etária, a maioria das pessoas (34%) têm entre 19 e 24 anos, seguido por pessoas entre 25 e 30 anos (19%), 16 e 18 anos (14%), 31 e 40 anos (12%), acima de 40 anos (12%) e abaixo de 16 anos (10%).

Perguntamos, então, a relação das pessoas respondentes com a literatura. A questão não era excludente, isto é, uma mesma pessoa poderia escolher várias opções. 102 pessoas afirmaram que lêem; 84, que escrevem; 17, que traduzem e/ou revisam; 11, que editam; e 4 marcaram a opção “outros”. Dessas pessoas, 18 escolheram apenas a opção “leio”, uma escolheu as opções “leio” e “traduzo/reviso” e uma escolheu apenas a opção “escrevo”. Todas as outras respostas englobam no mínimo as opções “escrevo” e “leio”.

Em seguida, questionamos sobre os gêneros literários que as pessoas costumam escrever e/ou ler. Novamente, essa questão não era excludente. A Fantasia e a Ficção Científica foram os gêneros mais populares, com 77 e 69 respostas, respectivamente. Suspense/Terror e Realismo Mágico ficaram logo em seguida, com 47 e 46 votos. Fantasia Urbana e Romance tiveram 43 escolhas cada, seguidos por Literatura Contemporânea, com 41 votos. Policial, Jovens Adultos e Realismo tiveram, respectivamente, 34, 32 e 29 votos. Cinco pessoas marcaram, ainda, a opção “outros”.

A próxima questão dizia respeito ao horário de maior atividade literária da pessoa respondente. A pergunta foi direcionada apenas às pessoas que escrevem e era excludente. 41% escolheu a madrugada (entre 00:00 e 05:59), seguido por 39% que elegeram a noite (entre 18:00 e 23:59). Os outros horários, com resultados muito menos expressivos, foram: manhã cedo (entre 06:00 e 08:59) – 7%; tarde (entre 14:00 e 17:59) – 4%; manhã (entre 09:00 e 11:59) – 3%. Cinco pessoas marcaram a opção “outro” e nenhuma pessoa escolheu a opção “horário do almoço (entre 12:00 e 13:59)”.

Em seguida, questionamos sobre os hábitos de pesquisa de conteúdo de teoria e técnicas literárias. A questão não era excludente. 74 pessoas disseram que pesquisam esse conteúdo em sites e blogs especializados. 51 afirmaram recorrer a livros e manuais. 34 pessoas usam o Faceboook para tal intuito, e 14 consultam leitores e leitoras beta. Sete pessoas pesquisam no site Deviantart, três utilizam grupos de discussão via email, uma utiliza o Twitter e quatro marcaram ainda a opção “outros”. 16 pessoas afirmaram que não procuram esse tipo de material, das quais cinco não escrevem (o que corresponde a 26,3% do total das pessoas que não escrevem) e 11 escrevem (13% do total).

Das pessoas respondentes que buscam conteúdo relacionado a teoria e técnicas literárias em sites e blogs, 39 identificam-se com o gênero masculino, 24 com o feminino, nove com o neutro e um com “outros”. Com relação à faixa etária, 39,2% têm entre 19 e 24 anos; 16,2% têm entre 25 e 30 anos e 13,51% tem menos de 16 anos. As faixas “entre 16 e 18 anos”, “entre 31 e 40” e “acima de 40” receberam, cada uma,  9,45% das respostas. Das pessoas respondentes, 75% escreve ou lê o gênero Fantasia.

Passamos, então, às questões relativas ao perfil de uso de mídias sociais. Questionamos o(s) horário(s) de maior atividade da pessoa respondente nas redes sociais. “De noite” (entre as 18:00 – 23:59) foi o período em que mais pessoas se declararam ativas (72 respostas). “De tarde (entre 14:00 e 17:59)” ficou em segundo lugar, com 28 marcações. “De madrugada (entre 00:00 e 05:59)”, “de manhã (entre 09:00 e 11:59)” e “no horário do almoço (entre 12:00 e 13:59)” tiveram, respectivamente, 17, 14 e 13 marcações. “De manhã cedo (entre 06:00 e 08:59)” teve cinco respostas e “outros”, duas. Das pessoas que responderam “de noite”, 31% também afirma escrever no período noturno. 23% escreve no período da madrugada, 3% à tarde e 2% de manhã cedo. Com relação às pessoas que se dizem mais ativas em redes sociais no período da tarde, nenhuma delas declarou escrever no mesmo período. 29% escreve no período noturno, 18% de madrugada e 4% de manhã cedo.

Com relação ao conteúdo que as pessoas gostariam de ver em uma página do Facebook dedicada à literatura especulativa, 83 pessoas afirmaram que gostariam de ter acesso à dicas literárias; 68 mostraram interesse em indicações literárias; 62 gostariam de ver curiosidades; 61 têm interesse em contos, crônicas e microcontos; 57 se interessam por relatos de experiências de outras pessoas que escrevem; 53 gostariam de ter acesso a notícias relacionadas a concursos e editais e 33 têm interesse em conteúdo de humor. Uma pessoa afirmou não ter interesse em uma página com esse perfil e outra marcou a opção “outros”.

Das pessoas interessadas em dicas literárias, 46% têm maior atividade nas redes sociais em período noturno, 6% no período da tarde, 6% na madrugada, 5% de manhã, 4% de manhã cedo e 9% no horário do almoço. Das pessoas interessadas em relatos de experiências, 41% tem maior período de atividade nas redes sociais à noite, 12% à tarde, 11% de madrugada, 7% no horário do almoço e 5% de manhã.

Por fim, questionamos o número de postagens diárias que as pessoas estariam dispostas a acompanhar no Facebook. Neste estágio, nos deparamos com um problema metodológico que não prevemos no questionário beta, que aplicamos a um grupo pequeno antes de lançar o questionário final. Ao invés de criarmos grupos de intervalo para as postagens (com um número baixo, um médio, um alto e um muito alto, por exemplo), colocamos uma escala de “um” a “mais de dez”. Assim, os resultados ficaram divididos. De qualquer forma, a maioria das pessoas votou em duas, três, quatro e cinco postagens, sendo a última a mais votada. É interessante frisar que, após cinco, o número de votos caiu bastante, até “mais de 10”, que ficou em terceiro lugar em número de votos.

Esses foram os dados que orientaram a criação da página do Escrevendo Fantasia no Facebook e que pautam os conteúdos que postamos diariamente. Se você quiser usá-los na criação de seu perfil como escritor, por exemplo, sinta-se à vontade.

Anúncios
Esse post foi publicado em Teoria e Técnica e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s